Skip to main content
O corretor e o atendimento online: 3 dicas para acertar na escrita

O corretor e o atendimento online: 3 dicas para acertar na escrita

Com o desenvolvimento da tecnologia e as novas formas de interagir e se relacionar proporcionadas por elas, é cada vez mais comum que o contato entre o profissional imobiliário e seus clientes se dê por meio de mensagens, e-mails e chats online, ou seja, através da escrita. O atendimento online é fundamental para o corretor de imóveis que deseja obter sucesso na captação de clientes e aumentar suas negociações. A comunicação escrita é parte fundamental deste processo e os erros de português podem comprometer a imagem do profissional e da empresa em que atua, fazendo com que ambos percam oportunidades de venda.

Erros de português acabam por fazer com que o corretor perca a credibilidade e indicam descuido e despreparo do profissional. Confira algumas dicas para melhorar seu atendimento online, evitar erros de português e acertar na escrita:

1. A importância da leitura

Especialistas indicam a leitura como uma das melhores formas de melhorar a comunicação escrita. Ler bastante contribui para que o cérebro memorize expressões e a grafia correta das palavras, além de ser uma ótima forma de ampliar seus conhecimentos. Por que não investir na leitura de biografias de empreendedores de sucesso ou livros sobre estratégias de marketing? Procure dedicar tempo à leitura, seja de livros ou de notícias em revistas e jornais de qualidade.

2. Revisão dos textos

Todos estamos sujeitos a cometer erros de português e até mesmo de digitação ao escrever uma mensagem. Mesmo autores famosos têm o conteúdo de seus livros ou textos revisados por um profissional. Reler suas mensagens com atenção é, portanto, fundamental para evitar erros e garantir uma comunicação apropriada e eficiente com o cliente. A revisão do seu texto por um colega de trabalho também pode ser interessante: peça que ele revise suas propostas, materiais promocionais e até mesmo e-mails importantes antes de enviá-los. É comum estarmos tão acostumados a escrever e nos comunicar de determinada forma, que nossos próprios erros passam desapercebidos.

Tecimob - Site para corretor de imóveis e imobiliária

3. Atenção aos erros de português mais comuns

Durante a comunicação presencial, o corretor de imóveis faz uso de um tom de voz amigável, um sorriso e até mesmo da sua apresentação pessoal. A comunicação escrita, por sua vez, exige não somente uma postura cordial e com o mínimo de formalismo, mas também atenção quanto ao uso correto do português. Confira alguns dos erros de português mais comuns:

Por que – Porque – Por quê – Porquê

Por que: utilizado no início de perguntas, pode ser substituído por expressões como “por qual motivo” ou “por qual razão”. (Por que você não gostou do imóvel?)

Porque: utilizado para iniciar uma explicação, apresenta a causa de um fato e responde a perguntas. Pode ser substituído por “pois”. (Não gostei do imóvel porque ele é muito pequeno.)

Por quê: também utilizado para perguntas, vem acentuado quando é utilizado no final da frase. (Você não se interessou pelo imóvel por quê?) Pode também ser utilizado em frases afirmativas. (Ele não se interessou pelo imóvel, não sei por quê.)

Porquê: utilizado como substantivo. Pode ser substituído por “motivo”, “razão” ou “causa”. (Ele me disse o porquê de não ter se interessado pelo imóvel.)

Agente – A gente

Agente: corresponde a uma profissão, como agente de trânsito ou agente secreto.

A gente: equivalente a “nós”, conjugado na terceira pessoa do singular. (A gente vai realizar a visita na terça-feira.)

Mas – Mais

Mais: tem um sentido de adição, funcionando como oposto a “menos”. (Ele se interessou mais pelo outro imóvel.)

Mas: passa a ideia de uma oposição, podendo ser substituído por expressões como “porém” ou “contudo”. (Ele gostou do imóvel, mas ainda quer olhar outros.)

Para eu – para mim

Para mim: o pronome pessoal “mim” é utilizado quando exerce na oração a função de objeto indireto. (Se não puder comparecer, envie uma mensagem para mim.)

Para eu: a utilização do pronome “eu” requer um verbo no infinitivo; o pronome será sempre o sujeito da ação a ser realizada. (Para eu enviar uma mensagem, preciso de internet). Na dúvida, faça um teste, reescreva a frase com “para que eu”, assim: Para que eu envie uma mensagem, preciso de internet. Funcionou, certo? Então está correto.

E você, corretor, como vem trabalhando para melhorar o seu português? Quer mais dicas? Leia também Erros de português podem fazer você perder vendas.

Deixe o seu comentário!

Comentários

Vinicius Bagio

Analista de Marketing - Desenvolvedor das atividades do ramo. Executa processos e rotinas, visando o atendimento das necessidades da empresa, apostando também no marketing de relacionamento para com seus clientes.

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar
wpDiscuz
Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE